A Voz do coração, a nossa bússola interna

Cada vez mais se fala que temos que ouvir a nossa intuição e seguir o nosso coração. Sentir mais e confiar mais no que sentimos. No entanto, na sociedade ocidental em que vivemos, somos ensinados a focarmo-nos exclusivamente nos nossos desejos, ambições e realizações externas. O que cria em nós uma grande divisão. Um conflito e a dificuldade em seguir a nossa bússola interna.

Com isto não digo que as realizações externas e os desejos não são necessários, o que quero dizer é que as prioridades estão trocadas.
O fazer e o ter passaram para 1ºlugar, e o ser e sentir passaram para 2º ou mesmo 3º lugar.
Qual a
Consequência?
Vivemos para a possessão e negligenciamos a verdadeira essência da vida baseada nos sentimentos.
A simplicidade, a presença, a intimidade e o contacto humano, a interação com a natureza, a permissão para relaxar e o silêncio deixaram de ser o centro onde tudo se cria e nasce, passando a ser um luxo ou mesmo algo desvalorizado e desprezado…

O que isto originou?
Uma
vida superficial, descartável e pouco profunda, ausente de sentido e verdadeira conexão. Civilizações separatistas, egocêntricas e competitivas. Emoções baseadas em frequências baixas e pesadas, como o medo, a culpa, a vergonha, a inveja ou a raiva.

O convite que lhe faço é inverter estas prioridades e focar-se em si, no seu sentir. Ouvir o ressoar do seu coração e permitir-se confiar totalmente nessa voz.
No entanto pode parecer difícil porque ninguém nos ensinou a fazê-lo. Compreendo… e por isso deixo-lhe aqui
algumas dicas.

1- Permita-se parar, escutar e estar atento ao que sente neste momento.
Faça esta pergunta: “ O que estou a sentir neste momento? O que realmente preciso?”

2- Tome atenção às suas sensações quando está com alguém, quando está num determinado lugar, ou quando recebe uma informação. O que é que isso ou essa pessoa o faz sentir? O que ressoa em si?

3- Respeite essas sensações. Normalmente a 1ºsensação é a verdadeira, mesmo que na altura não faça sentido ou não tenha lógica para si, seja ela uma sensação “positiva” ou “negativa.“

4 – Quando sentir um impulso forte de grande certeza e satisfação, muitas vezes acompanhado de uma imagem, é algo que lhe está a ser transmitido pela sua intuição. Algo que origina uma vibração de amor, compaixão e contentamento. Algo que só a sua alma sabe que é a coisa certa para si. Pode acontecer também como um aviso ou precaução, através de sensações de que algo não está bem. Neste caso, não perca tempo em perceber o porquê e siga a sua orientação interior, pois a resposta ao porquê virá depois.

5- Esteja atento à repetição de imagens, sensações ou mesmo “chamamentos”, pois claramente que a sua alma o chama fazendo ressoar no seu peito uma necessidade de realizar uma ação que é importante para o seu despertar de consciência.

Com isto, poderá agora começar a ter um maior entendimento da sua parte feminina. Valorize-a e ponha-a em prioridade seguindo estes passos:

1-
Crie uma rotina onde possa estar mais vezes em silêncio, para simplesmente sentir e escutar.
2-
Permita-se largar certas atividades ou distrações para poder viver a vida de um modo mais calmo e atento.
3-
Confie nas decisões e escolhas baseadas nessas intuições.
4- Esteja
mais presente em tudo o que faz e com quem está.
5-
Ponha o foco na sua paz interna, estando sempre atento ao que lhe traz mais serenidade.

Assim a voz do coração vai-se tornando na sua bússola interna. Ela está sempre certa. É algo que intuímos no nosso chakra frontal, que desce pelo chakra da garganta e que se funde com o chakra do coração criando sensações de conforto ou desconto, expansão ou contração.

Esteja atento e permita-se ser fiel… a SI!

Bem haja,
Filipa Andersen,

By | 2016-03-28T19:11:29+00:00 28 Março, 2016|Inner Coaching|0 Comments

Leave A Comment

18 − 3 =